quinta-feira, 4 de janeiro de 2007

Agentes secretos e conspiradores ao serviço de D. João II

Três podem guardar um segredo, se dois estiverem mortos
Benjamin Franklin

(1ª de cinco epígrafes ao Cap. VI de O Mistério Colombo Revelado)


Para a execução da sua missão enganadora Cristóvão Colombo conta com ajudas de imensos outros agentes secretos e conspiradores:
Pêro da Covilhã
Fr. António de Lisboa
Pedro de Montarroio
Afonso de Paiva
José de Lamego
Rabi Abrãao de Beja
Fr. António de Mascarenhas a.k.a Juan Perez (?)
Rui de Pina
Pedro de Alcáçova
D. Diogo Ortiz de Calçadilha
Mestre Rodrigo
Mestre Moisés = José Vizinho
Fr. Gaspar Gorrício
D. João II
D. Isabel, a Católica
D. Fernando Colombo
Fr. Jorge de Sousa
Martim da Boémia / Behaim
Maximiliano I
Jerónimo Munzer
Bernardo Boil / Bnyl / Buil / Bonil
Toscanelli (eventualmente)
Bartolomeu Dias
Garcia de Resende
Juanoto Berardi
Vespúcio
etc.


(Exemplos retirados unicamente do capítulo VI de O Mistério Colombo Revelado)

Adenda de 7-1-2007

Luís de Oria / Lodisio d’Oria
Lorenzo di Berardo e irmão(s)?
Bartolomé Marchioni
Francisco de Bardi
Simón Verde
Gerardo Verde
Andrés Colombo
Francesco Carduchi
Diego de Ocaña
Jerónimo Rufaldi
Violante ou Briolanja Moniz a.k.a.(?) Beatriz Hidalgo
D. Isabel da Silva, marquesa de Montemor
irmãos de Filipa Moniz
Diego Mendez de Segura
Cristobál Muñiz / Cristóvão Moniz
Juan de la Cosa

Há muitos mais nomes, mas no texto em género de rol torna-se difícil, ou mesmo impossível, compreender qual o papel atribuído a cada personagem enumerada.

Nota: atenção que Calcutá é diferente de Calecute, p. 227.

23 comentários:

Português Racional disse...

"...Somente depois de D. João II morrer começam a chamar-lhe Genovês pois o grande plano de D. João II saiu com sucesso e C. C. não valia mais nada para D. Manuel I.
Aliás se C.C. foi deveras um seu meio-irmão faz todo o sentido que tanto D. Manuel I como Dona Beatriz sua mãe tinham razão de censurar a sua linhagem.
A razão era de protegerem a honra de D. Beatriz cujo marido foi um adultero e protegerem o trono de um bastardo.
D. Manuel I não tinha mais irmãos legitimos acontecendo alguma coisa a D. Manuel I, C. Colon poderia ser o próximo hedeiro do trono.

A mesma razão explica porque em Castela D. Carlos V proíbia D. Fernando Colon de fazer publico a linhagem de seu pai. D. Fernando Colon um Castelhano sendo neto do Duque de Viseu estaria muito chegado ao trono de Castela e uma possivel ameaça ao trono de Castela aonde se sentava um Alemão..."

Cf. Manuel Rosa, in GP, 5 I 2007:
http://genealogia.netopia.pt/forum/msg.php?id=139193#lista

Não é só o segredo de Colombo enquanto agente secreto, mas também o segredo da sua identidade REAL (leia-se sangue da Família Real). :) O Carnaval este ano começa mais cedo e eu não dei por isso? O facto de o infante D. Fernando ter sido adúltero poder ser considerado como ofensa para a honra da Infanta sua mulher, a ter que ser escondido de todos como segredo de Estado, foi a coisa mais deliciosa que li em todo o ano de 2007. O facto de o "rei de Espanha" flamengo-alemão "D. Carlos V" (sic) ter medo das pretensões do "real bastardo português" "Colón" (sic) ao trono de Castela, sugere-me que na sua descendência actual (duques de Verágua?) haja perigo para a solidez do trono a herdar pela filha de Letícia Ortiz.
Nunca é tarde para emendar a História...

Anónimo disse...

Caro J.C.S.J.

Tens algumas provas que estes homens não foram agentes ou cúmplices de D. João II?
Uma só prova?

Pêro da Covilhã
Fr. António de Lisboa
Pedro de Montarroio
Afonso de Paiva
José de Lamego
Rabi Abrãao de Beja
Fr. António de Machena a.k.a Juan Perez (?)
Rui de Pina
Pedro de Alcáçova
D. Diogo Ortiz de Calçadilha
Mestre Rodrigo
Mestre Moisés = José Vizinho
Fr. Gaspar Gorrício
Fr. Jorge de Sousa
Martim da Boémia / Behaim
Maximiliano I
Jerónimo Munzer
Bernardo Boil / Bnyl / Buil / Bonil
Bartolomeu Dias
Garcia de Resende
Juanoto Berardi
Vespúcio
Cristóvão Colon,
etc.

Uma só prova basta par me contentar.

É que tu estás a meter aqui algo que parece pelo tipo de blog aonde está metido que insinua que isto é pseudo-história.

Por favor só uma pequena prova que estes homens não eram agentes ou cúmplices de D. João II basta para provar que O Mistério Colombo Revelado é deveras pseudo-história.

Peço uma só prova nada mais. Pois ao não mostrares uma prova estás a ser desonesto com a tua pseudo-critica

Anónimo disse...

Uma só prova?

Anónimo disse...

Caro J.C.S.J.,

Você tem alguma prova que as pessoas que listou não estavam ao serviço do rei de Portugal ou a ajudar Cristóvão Colombo?

Ou está a ser desonesto na sua critica do livro de Sr. Manuel Rosa?

Anónimo disse...

Quer dizer, meio portugal de então estava metido no segredo, como agentes ou cúmplices de D.João II e Colombo! Grande segredo,dá que pensar!E ainda querem provas de esta gente toda não estava envolvida no caso!Bom,se a cabeça se fez para chutar a bola e os pés para pensar, meditarei no caso!

Português Racional disse...

"Uma só prova?...Você tem alguma prova que as pessoas que listou não estavam ao serviço do rei de Portugal ou a ajudar Cristóvão Colombo?

Ou está a ser desonesto na sua critica do livro de Sr. Manuel Rosa?"

Cabe ao investigador o ónus da prova, isto é, a apresentação de novas fontes aceitáveis quando pretenda alterar uma linha histórica consensual anterior a um seu trabalho. Novas provas suficientemente fortes, coerentes entre elas, capazes de anularem as provas e os estudos anteriormente documentados e aceites alargadamente na Comunidade Científica em cada momento.

Um novo sistema de fontes não pode ser isolado, pontual, ou de conteúdo incorrectamente analisado ou descrito, antes deve ser coerente, integrado, sólido na sua pretensa nova evidência.

Não se consideram prova aceitável raciocínios especulativos arquitectados sem base sustentável em fontes, ou com estas desenquadradas ou mal entendidas e referenciadas nos contextos em tratamento.

Cps

P.R.

Anónimo disse...

"D. Manuel I não tinha mais irmãos legitimos acontecendo alguma coisa a D. Manuel I, C. Colon poderia ser o próximo hedeiro do trono."

Há quem ande aqui e não leia o que já foi posto ou não consiga entender, eu já tinha lido que o herdeiro legal e sem problema de D. Manuel I era o sobrinho filho da irmã D. Isabel, D. Jaime duque de Bragança herdeiro jurado em cortes. o duque Bragança tinha irmãos. Não havia problemas de sucessão para d. Manuel.

Anónimo disse...

D. Manuel em 1500 declarou nulos os efeitos do processo criminal do duque D. Fernando porque não foram dirigidos ao seu pescoço e porque sua mãe fazia parte dos traidores.
Sobre o sucessor presuntivo da coroa de Portugal duque de Bragança, D. Jaime, por ser o parente mais próximo das pessoas reais não nega que um meio-irmão de D. Manuel I seria ainda mais chegado ao trono.
Em 1498 quando o Duque D. Jaime foi escolhido já a censura total de D. Manuel I sobre Cristóvão Colombo reinava há 3 anos e em breve Cristóvão Colombo seria preso, destituído , difamado, destruído e tornado num plebeu tecedor de lã.
Mesmo assim o filho do "tecedor de lã" conseguiu ser Vice-Rei pelos reis de Espanha.

Imaginem um filho de um tecedor de lã era Vice-Rei. Que fantasia!!!!!!!!!!

Anónimo disse...

Não é preciso de regressar ao século XV para ver altas figuras politicas destruídas pelos seus oponentes especialmente por aqueles mais conhecedores dos seus segredos.
Ao contrário dos nossos dias de Apitos Dourados em que se abrem investigações públicas á procura da verdade nos dias de Colombo as investigações eram fechadas e controladas e manipuladas pelos interessados.
Somente precisa-se lembrar da Inquisição para entender o poder de quem queria destruir outro.
Até o processo de investigação do Colombo nunca foi feito publico por 500 anos e foi escondido pela corte de Espanha longe dos papeis que se relacionavam com Colombo que mostra ser por algum motivo de corrupção na corte.

Anónimo disse...

" Anonymous said...

Quer dizer, meio portugal de então estava metido no segredo, como agentes ou cúmplices de D.João II e Colombo! Grande segredo,dá que pensar!E ainda querem provas de esta gente toda não estava envolvida no caso!Bom,se a cabeça se fez para chutar a bola e os pés para pensar, meditarei no caso!

Sábado, Janeiro 06, 2007 12:59:00 AM"

Se Colombo foi agente secreto de D. João II claro que todo o Portugal de D. João II estava metido nisso. O Rei era Portugal e Portugal era o Rei. Assim que perdeu o Rei em 1580 deixou de ser "Portugal" e era um reino de Espanha.
Se um agente Russo é apanhado no Canadá claro que toda a Rússia está por detrás disso. Mesmo aqueles que não saibam nada do caso. É um espião Russo. Claro?

Anónimo disse...

Porque é que os autores deste pseudo - blog se escudam sempre com o "ónus da prova"??? Estarão eles com medo do verdadeiro debate de ideias???

E porque não revelam eles a sua identidade??? É que mais parece uma batalha entre um homem e o fantasma! Ou estarão os autores deste blog com receio de que quando se saiba a historia verdadeira eles sejam rotulados de ignorantes, pois a unica coisa que têm feito é verificar que a historia de colombo, tal como está é errada e atribuem a culpa ao Mascarenhas Barreto, Patricionio Ribiero e ao Manuel Rosa.

Sejam honestos e deixem as cortinas do anonimato e do onus da prova e "lutem" de igual para igual com os historiadores defensores da tese portuguesa!

Anónimo disse...

"Três podem guardar um segredo, se dois estiverem mortos
Benjamin Franklin
(1ª de cinco epígrafes ao Cap. VI de O Mistério Colombo Revelado)"

Para si tenho uma piada de Engenheiro... O senhor deve ser Integrável (i.e. area de uma função matemática), pois é continuo e LIMITADO... Nunca ouviu falar nas Ordens Secretas em Portugal no século XV e nos juramentos dos membros Iniciados??

Português Racional disse...

"...Porque é que os autores deste pseudo - blog se escudam sempre com o "ónus da prova"??? Estarão eles com medo do verdadeiro debate de ideias???"

Não existem pseudo-blogs. A História não é feita de ideias, de que se ocupa a Filosofia, mas sim de factos documentados e coerentes.

"...atribuem a culpa ao Mascarenhas Barreto, Patricionio Ribiero e ao Manuel Rosa."

À palavra culpa é sempre preferível a palavra responsabilidade. Culpar é julgar. Aqui procuramos analisar, desmontar os erros primários, e ajudar a entender. O interesse pela verdade da maioria deverá sempre sobrepor-se aos interesses pontuais de dois ou três.

"..."lutem" de igual para igual com os historiadores defensores da tese portuguesa!"

Aqui não se luta, tenta-se esclarecer. Não consideramos historiadores os autores que defendem a chamada tese do Colombo português. Reconhecemo-los no entanto como investigadores na área da História, visto que publicaram conclusões que crêem documentadas em fontes, a fim de delas terem o necessário eco crítico da Comunidade Científica.

Cps

P.R.

Anónimo disse...

"Se Colombo foi agente secreto de D. João II claro que todo o Portugal de D. João II estava metido nisso. O Rei era Portugal e Portugal era o Rei. Assim que perdeu o Rei em 1580 deixou de ser "Portugal" e era um reino de Espanha."

Se era agente secreto do Rei, os portugueses não o sabiam, certo? Como podiam estar metidos nisso então? A identificação do Rei com o Povo é uma imagem figurada, que tomou à letra... secundarize. Portugal sempre foi, até 1910, um reino das Espanhas e da Europa. Também acha que ao entrar em República deixou de ser Portugal?

"Se um agente Russo é apanhado no Canadá claro que toda a Rússia está por detrás disso. Mesmo aqueles que não saibam nada do caso. É um espião Russo. Claro?"

Escuro. O merceeiro de Vladivostoque decerto nada tem que ver com o assunto.

Português Racional disse...

"D. Manuel em 1500 declarou nulos os efeitos do processo criminal do duque D. Fernando porque não foram dirigidos ao seu pescoço e porque sua mãe fazia parte dos traidores.
Sobre o sucessor presuntivo da coroa de Portugal duque de Bragança, D. Jaime, por ser o parente mais próximo das pessoas reais não nega que um meio-irmão de D. Manuel I seria ainda mais chegado ao trono."

Não acha que D. Manuel I restabeleceu antes a Casa de Bragança por riqueza pessoal, e por espírito de família, sendo sua irmã a infanta D. Isabel a Duquesa quando subiu ao trono, e sendo os seus sobrinhos filhos desta os seus herdeiros e sucessores na Coroa? Para um bastardo suceder no trono, havendo herdeiros legitimos, seria necessária uma revolução, como a de 1383, e mesmo assim, foi preciso aí tentar provar que quer a rainha D. Beatriz I, quer os infantes filhos de D. Inês de Castro, eram tão ilegítimos como D. João I.

"Em 1498 quando o Duque D. Jaime foi escolhido já a censura total de D. Manuel I sobre Cristóvão Colombo reinava há 3 anos e em breve Cristóvão Colombo seria preso, destituído , difamado, destruído e tornado num plebeu tecedor de lã.
Mesmo assim o filho do "tecedor de lã" conseguiu ser Vice-Rei pelos reis de Espanha."

1 Cristóvão Colombo não foi vice-rei pelos reis de "Espanha", mas pela rainha de Castela. Precisão e concisão são duas qualidades óptimas em historiografia.
Na falta de experientes navegadores de alto mar, Colombo fez exigências repetidas nesse sentido, que levaram muitos anos a aceitar pela rainha Isabel, pela sua desproporção, e se finalmente as aceitou, foi exactamente por não ter suficientes navegadores avançados em Castela, não haver muita escolha. Pensa-se que a parte essencial das tripulações da armada de Colombo não eram castelhanas, sendo compostas entre outros por vários portugueses. As anteriores incursões castelhanas no Atlântico português eram possíveis de fazer ainda ao abrigo da cabotagem, descendo a costa africana a par e passo e apoiando-se nas Canárias.

2 Quanto à "censura total" do Rei da Pimenta sobre Cristóvão Colombo, súbdito estrangeiro desde que emigrado para Castela, em que fontes ou estudos a documenta?

Finalmente, queira atentar que o aspecto patriarcal dos costumes dos nossos antepassados não criara ainda designações rebuscadas diferenciando quem exercitava um mister, perdendo como tal a nobreza, e quem exercia em larga escala uma actividade comercial ou industrial utilizando o labor dos ofícios mecânicos. Assim, grandes lavradores que fossem servidos, que não usassem as suas mãos directamente, não perdiam a sua nobreza, sendo designados como lavradores da mesma forma que aqueles que eram vilãos, lavrando com as próprias mãos. Ainda no sc. XIX lavrador se chamavam a si próprios grandes fidalgos cavaleiros da Casa Real, titulares, comendadores da Conceição, senhores de grandes propriedades, entregues a feitores, e sustentando em Casa agrícola uma imensidão de dependentes.

Tecelão no tempo de Colombo pode tanto indicar um humilde tecelão ou, como é mais provável, um gestor e proprietário abastado de actividades de tecelagem, desde a compra e comercialização da lã, à sua tecelagem, e comercialização por via marítima. Continuaria esse burguês a ser chamado tecelão. E tratado como inferior, com desprezo e arrogância, pela orgulhosa e pobre hidalguia castelhana que, à falta de pergaminhos argentariamente mais sonantes, se jactava apenas dos seus avós, única herança que muitos deles recebiam.

Tente contextualizar a necessidade de um arrivista social, como Colombo, ter de esconder as suas origens plebeias, mesmo que abastadas e cultas, a fim de ser melhor aceite pela elitista aristocracia castelhana aonde quiz, e conseguiu, tomar pé.

Cps

P.R.

Anónimo disse...

Caro Português Racional,


"Pensa-se que a parte essencial das tripulações da armada de Colombo não eram castelhanas, sendo compostas entre outros por vários portugueses."?

Não seria assim mais provas de Colombo ser agente secreto Português?

Anónimo disse...

"Não existem pseudo-blogs. A História não é feita de ideias, de que se ocupa a Filosofia, mas sim de factos documentados e coerentes."

Então diga o Senhor Portugues Racional que factos documentados e coerentes é que temos sobre o Navegador Cristoval Colon???

Está documentada a chegada dele a portugal em 1476 num naufragio??? Esta documentado o casamento dele com Filipa Perestello??? São coerentes os testamentos dele?? Que claramente são falsos, tal como o Manuel Rosa apontou??? Que documentos fidignos temos sobre Cristoval Colon para além das cartas escritas por ele???

Deixem-se de demagogias porque em torno do Cristoval Colon só existem dúvidas, não ha FACTOS DOCUMENTADOS E COERENTES!!! Ou os senhores têm em posse documentos que os outros não têm???

Anónimo disse...

" P.R. disse....
Cabe ao investigador o ónus da prova, isto é, a apresentação de novas fontes aceitáveis quando pretenda alterar uma linha histórica ......"

E não cabe aos senhores criticos de ler essas provas para depois poder criticar-las?

O que é que está a criticar então sem ler uma só página para ver se têm ou não "novas fontes aceitáveis?

De qualquer outra forma de actuar o Sr. está a criticar por criticar e não a criticar algo que leu.

Anónimo disse...

Sobre a nota:
"Nota: atenção que Calcutá é diferente de Calecute, p. 227.

Por: J. C. S. J. às 22:39"

Existe uma página com erratas incluidas no livro aqui: www.colombo.bz/errata.htm

J. C. S. J. disse...

Eu sei, mas a errata estava... errada, também.
Agora já não está... ainda bem.

Português Racional disse...

"Pensa-se que a parte essencial das tripulações da armada de Colombo não eram castelhanas, sendo compostas entre outros por vários portugueses."?

Não seria assim mais provas de Colombo ser agente secreto Português?"

A superioridade tecnológica naval, em mar aberto, dos portugueses no sc. XV, e mesmo XVI, é incontestável. Tudo o que Colombo sabia a respeito o aprendeu em Portugal decerto. Houve evidentemente contributos para ela com assento noutros povos, como o judaico, e os genoveses, por exempl. Isto nada tem que ver com agentes secretos. Tem sim que ver com os actuais portugueses que tiram em Portugal cursos superiores, subsidiados pelos impostos dos cidadãos portugueses, e depois se empregam no estrangeiro, não gerando retorno ao País.

Cps

P.R.

Português Racional disse...

"Está documentada a chegada dele a portugal em 1476 num naufragio??? Esta documentado o casamento dele com Filipa Perestello??? São coerentes os testamentos dele?? Que claramente são falsos, tal como o Manuel Rosa apontou??? Que documentos fidignos temos sobre Cristoval Colon para além das cartas escritas por ele???

Deixem-se de demagogias porque em torno do Cristoval Colon só existem dúvidas, não ha FACTOS DOCUMENTADOS E COERENTES!!! Ou os senhores têm em posse documentos que os outros não têm???"

Sim, são essas coisas documentadas em fontes e estudos coevos. O que não se documenta é que Filipa usasse Perestrelo, documenta-se apenas como FILIPA MONIZ. Sim, temos muitos documentos fidedignos coevos sobre Cristóvão Colombo. Esses documentos e estudos são suficientes para elaborar a sua biografia em termos racionais e corentes.

Cps

P.R.

Português Racional disse...

"E não cabe aos senhores criticos de ler essas provas para depois poder criticar-las?

O que é que está a criticar então sem ler uma só página para ver se têm ou não "novas fontes aceitáveis?

De qualquer outra forma de actuar o Sr. está a criticar por criticar e não a criticar algo que leu."

Respondendo seranemente à D. Demagogia:

1º Não cabe não, excepto se reconhecerem credibilidade metodológica ao autor. Havendo distorsão e ocultação evidente de fontes e estudos, manipulação destes, eliminada ad hoc a credibilidade inicial da obra, mesmo que entre o seu joio haja algum trigo, nenhum crítico perde tempo a le-la ou refuta-la senão para a denunciar ao leitor como desinteressante à leitura porque não correctamente fundamentada.

- Está-se a criticar uma fantasia insustentável que não teria mal se fosse apresentada como tal ao público leitor.

- Sinceramente, já li demais até o sr. MR em Genea Portugal e aqui... não conto faze-lo por muito mais tempo.

Cps

P.R.