quarta-feira, 6 de dezembro de 2006

Zargo e zarqa

(...) Eu Joha[m] Gonçallvez Zargo cavalero da cassa do Ifante dom Anrique e regedor por ho dito senhor em a sua ilha da Madeyra em o Fonchal e seus termos (...)


(Excerto da leitura, transcrição e edição feitas a partir do documento apresentado em O Mistério Colombo Revelado, p. 399)

Os autores do referido livro lêem Zarqo e não Zargo e já se mostrará porquê.

Como se pode ver na segunda imagem, João Gonçalves Zarco é referido pelo tabelião que faz este documento como sendo Zargo e não Zarqo. O próprio João Gonçalves assina Zargo, como se pode ver nesta primeira imagem.


É Zargo e não Zarqo como facilmente se comprova comparando o g de Zargo com o g de Gonçalves ou o g de regedor – são praticamente iguais.




Se dúvida persistir continue-se a comparar e veja-se como o tabelião, ou o seu escrivão, desenha o q em Henrique (grafado anriq, tendo o q um traço sobreposto indicando tratar-se de abreviatura) ou ainda como desenha o q (que isolado com um traço sobreposto é abreviatura de pronome, conjunção, advérbio ou locução), que .




Lendo-se Zarqo e não Zargo permite aos autores darem um salto para zarqa, que dizem ser uma letra hebraica, e mergulharem em divagações hebraico-cabalistas sobre as quais nesta nota crítica não se entrará, ficando a crítica para a via hebraica para pessoa mais competente. Quanto à Cabala, não é um método historiográfico.

Uma última nota de ironia para referir que, e baseado unicamente no que se vê neste documento, o indivíduo conhecido por João Gonçalves Zarco não é João Gonçalves Zarco, pois não assinava assim, assinava João Gonçalves Zargo. Entenda-se deste modo: Cristóvão Colombo nunca terá assinado Colombo, por isso...

(Texto revisto em 6-12-2006 23:05 para tornar mais clara a ideia por detrás do discurso.)

5 comentários:

Anónimo disse...

wow poderam avançar 250 paginas em dois dias. Sera mesmo possivel?

Quanto ao artigo, eu ja volto, lol esta promete ser ainda mais comica.

d disse...

em 250 paginas so encontraram esse elemento para criticar, voces sao mesmo fortes.
Ainda por cima raramente repsondem a critica das vossas pseudo-criticas, isso mostra que as vossas criticas e o vosso silencio devem ter uns lindos fundamentos

Anónimo disse...

http://www.dightonrock.com/aassinaturadejoaogoncalveszarcou.htm

Pra ti, burro

Anónimo disse...

Mais não entendo.
Tu dizes que o G não é Q mas mostras um Q de QUE que parce um G de Gracioso

J. C. S. J. disse...

Ao Anónimo de Quarta-feira, Dezembro 06, 2006 7:48:00 PM

Eu trabalho com o documento que os autores apresentam. A letra em causa, que presumo seja a última que apresento, é a que está na terceira linha, lado direito, directamente abaixo do nome João que está na primeira linha.

Um dia que tenha mais tempo poderei fazer um desenho que explique esta abreviatura, nomeadamente o que é letra, o que é sinal diacrítico o que é ataque e o que é saída (termos paleográficos que caracterizam a cursividade da escrita).

E olhe que não estou a ser paternalista, arrogante ou pretencioso, será tão só uma pequena lição de paleografia que poderá impedir muitos dos nossos leitores de um dia cometerem erros por ignorância de matéria básica.