terça-feira, 21 de novembro de 2006

Nuova Raccolta Colombiana (1)

  • AGOSTO, Aldo, et. al. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 4]. I document genovesi e liguri, 2 vols., Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1992-1993.
  • AIRALDI, Gabriella; FORMISANO, Luciano, eds. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 5]. La scoperta nelle relazioni sincrone degli italiani, Roma, Instituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1996.
    Texto paralelo em latim e italiano.
  • ANGHIERA, Pietro Martire de. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 6]. La scoperta del nuovo mondo negli scritti di Pietro Martire d'Anguiera, ed. Ernesto Lunardi, Elisa Magioncalda, Rosanna Mazzacane, Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1988.
  • BALDACCI, Osvaldo. Nuova Raccolta Colombiana. Atlante colombiano della grande scoperta, Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1993.
    Fac-símile, mapas.
  • BELLINI, Giuseppe; MARTINI, Dario G. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 18]. Colombo e la scoperta nelle grandi opere letterarie, Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1992.
  • CARACI, Ilaria Luzzana. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 21]. Amerigo Vespucci, 2 vols., Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, 1996-1999.
  • COLOMBO, Cristóvão. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 1]. Il giornale di bordo. Libro de la prima navigazione e scoperta delle Indie, introd. e notas de Paolo Emilio Tavani e Consuelo Varela, 2 vols., Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1988.
    Abordam-se problemas paleográficos, linguísticos e literárias.
  • COLOMBO, Cristóvão. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 2]. Relazione e lettere sul secondo, terzo e quarto viaggio, ed. de Paolo Emilio Taviani, et al., 2 vols., Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1992.
  • FERRO, Gaetano, et. al. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 11]. La Liguria e Genova al tempo di Colombo, 2 vols., Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1988.
    Um vol. de mapas.
  • GAY, Franco. et. al. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 17]. Le navi di Cristoforo Colombo, Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1993.
  • LAS CASAS, Bartolomé de. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 9]. Le scoperte di Cristoforo Colombo nei testi di Bartolomeo de las Casas, ed. Francesca Cantú, 2 vols., Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1993.
  • MANZANO MANZANO, Juan. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 15]. Cristoforo Colombo. Setti anni decisivi della sua vita: 1485-1492, Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1990.
  • PISTARINO, Geo. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 12]. Chio dei genovesi nel tempo di Cristoforo Colombo, Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, [1995].
  • UNALI, Anna, ed. Nuova Raccolta Colombiana [n.º 12]. Le scoperta di Cristoforo Colombo nelle testimonianze di Diego Alvarez Chanca e di Andrés Bernáldez, Roma, Istituto Poligrafico e Zecca dello Stato, imp. 1990.Textos paralelos dos documentos em espanhol e italiano.

Nota: Estes livros podem encontrar-se na Biblioteca da Universidade de Coimbra.

2 comentários:

Português Racional disse...

Sr. Manuel Rosa

"Eu acredito que um dia destes vamos ter umas provas concretas e acredito também que essas provas vão mostrar que o Almirante Colon foi Português e assim será o mais famoso Português de todos os tempos."

3 Ninguém, excepto os leitores de obras religiosas, filosóficas, artísticas, ou de ensaistas, se interessa por saber no que um autor acredita, mas apenas no que ele prova. Não venda mais crenças, ou passe ao formato do ensaio ou do romance, como já lhe tinha dito. Não há ninguém que não erre, apenas é mau se errarmos de novo por teimosia ou má fé. O mais famoso português de todos os tempos, como marca simbólica, é e será sempre D. Vasco da Gama. Encarna a expansão marítima portuguesa que abriu mais do que novos mundos ao Mundo, abriu a Revolução Comercial que abre a Idade Moderna à Humanidade, e, pela 1ª vez - logo seguido na definitiva violação da Terra pelo grande Fernão de Magalhães, como rezou Pessoa - mostra finalmente o Mundo ao Mundo como a bola na mão de uma criança, a Aldeia Global em que hoje sabemos viver. Diante desta grandeza, que vale Colombo, mais do que prémio de consolação para uma Itália maritimamente destronada, para uma Castela sem navegadores de vulto ali nascidos, limitada à sua natureza apenas conquistadora do que os outros realizaram?

A importância de Colombo é relativa, e só entra mais tarde, quando alguns séculos depois o então desinteressante continente norte-americano se fez gente e ganhou status. Aliás, o status de Colombo nos EUA é errado. Ele nunca pôs os pés no território que só muito mais tarde se tornou nos EUA. Nem a sua colonização tentada nas Antilhas teve qualquer relevo. Os nomes marcantes a quem Castela deverá o entrar com relevância na História do Mundo, dando-lhe os meios para servir como únicos soldados fiéis e bolsa inesgotável o imperialismo religioso politico e militar europeu dos Habsburgos, são definitivamente os conquistadores Pizarro e Cortés.

"se um dia ler o livro até ao fim e quiser ajudar a resolver a história ou se tiver alguma crítica bem pensada..."

4. Penso que não tenho eu feito outra coisa, e tenho aprendido imenso graças a si. Sem ironia, obrigado, pois me tem feito pensar e colher informação. Mas faz mal em não voltar aqui, pois também eu tenho pesquisado ideias, já formei a minha crença sobre os verdadeiros pais de Colombo, e conto postá-la neste blog, com calma e vagar, depois do Ano Novo, havendo tempo. Não tenho competência para a investigar sòzinho, nem isso me apetece, até porque não acredito na História feita por "heróis". As conjunturas fazem os "heróis", e vice-versa. Cada herói é para mim apenas um símbolo, que agrega mito. Não penso vender a minha crença: mas irei oferecê-la aqui para que, havendo interesse eventualmente por ela, lhe peguem e a desenvolvam. Ou a rasguem em pedaços, numa grande gargalhada geral de que comungarei.

Termino agradecendo e retribuindo os seus votos de Ano Bom.

P.R.


PS: http://genealogia.netopia.pt/forum/msg.php?id=138671#lista (documentação existente em Savona e Génova sobre os irmãos Colombo) Pode comentar esta documentação de que ouço agora falar, e não pode ser associada ao famigerado Documento Asseretto?

Afonso Pizarro disse...

"Provas concretas"?

Lei a a traducção da sigla!!