quarta-feira, 29 de novembro de 2006

Como Colombo (não) mente

A interpretação abusiva de documentação n’O Mistério Colombo Revelado leva a que se extraiam dela conclusões erradas, contudo tal só seria de estranhar se esta não fosse usada para justificar ideias previamente concebidas.

Ele sabia onde estava e sabia muito bem o que estava a fazer quando mentia. Era o próprio Cristoval Colon que estava a fornecer os falsos testemunhos, como mostram claramente estas duas cartas para o seu filho Diego Colon:

Sevilha, 21 de Dezembro de 1504
(...)
Querido filho: A transcrição da carta que te envio. Queria que o Rei Nosso Senhor ou o Senhor Bispo de Palência a vissem antes de eu enviar a carta, para evitar falsos testemunhos.

Sevilha, 29 de Dezembro de 1504
(...)
Querido filho: Com Don Hernando [Colon] escrevi-te profusamente, o qual partiu para lá, faz hoje 23 dias... com elas vai a transcrição de uma carta que escrevo ao Santo Padre das coisas das Índias... Envio esta transcrição para que a veja Sua Alteza ou o Senhor Bispo de Palência, para evitar falsos testemunhos. A paga desta gente que foi comigo está atrasada.

Colon escreveu uma carta ao Papa acerca das coisas das Índias (Novo Mundo) das quais ele era o melhor e único perito, mas estava preocupado que esta sua carta contivesse falsos testemunhos, pelo que o Rei ou o Bispo a deviam rever. Quem escreveria falsos testemunhos na própria carta de Colon? Pensamos que a resposta é óbvia. Colon estava a dar falsos testemunhos sobre o Novo Mundo desde 1493, e agora o Rei ou o Bispo precisavam de verificar os factos falsos, face à presente carta, para se certificarem que iam ao encontro das anteriores versões dos factos dados ao Papa, de modo a que não parecessem falsos agora.
(O Mistério Colombo Revelado, pp. 147-148)


A minha interpretação dos documentos na forma apresentada:
Cristóvão Colombo está a dar conhecimento ao filho do que escreve e quer este faça chegar ao Rei ou ao bispo de Palência o conteúdo das cartas que vai enviar a terceiros, para que depois não cheguem ao Rei ou ao bispo de Palência notícias deturpadas do que realmente escreveu a esses terceiros.
Nada nestas cartas indicia que Cristóvão Colombo desse falsos testemunhos ao Rei ou ao bispo de Palência. A sua intenção era evitar ser caluniado por causa de cartas que escreve a terceiros e do conteúdo das quais o poder não tinha conhecimento.

5 comentários:

Anónimo disse...

Pois está mesmo claro que:
"para evitar falsos testemunhos"
quer dizer:
"para que o rei tenho conhecimento das minhas cartas"

Então porque não escreveu:
"passa as cartas a sua Alteza para que ele saiba o que estou a escrever ao Papa"?

Em vez de "para evitar mentiras" que é o mesmo que "para evitar falsos testemunhos".

Anónimo disse...

J. C. S. J. escreveu 'A minha interpretação dos documentos'.

Quem é J. C. S. J. para poder interpretar documentos de história e dizer que Colombo foi Colon e 'ainda não seria de estranha se esta não fosse usada para justificar ideias previamente concebidas.' o que deveras é a única razão da existência deste blog.

theman_ny disse...

O Mistério Colombo está Revelado que é uma verdadeiro socesso para se resolver o assunto mas não está Resolvido.

Os autores entenderam isso e deixam os leitores decidir por si.

Anónimo disse...

Acabei de chegar a este site, ainda não li o livro mas o que os mandões deste site andam a fazer é lamentavel.

Em vez de encontrar pontos de um livro onde os autores erraram em flagrante, não, somente corrigem factos sujeitos a questões abertas pelas suas proprias interpretações.

Ouvi dizer que o autor foi convidado pela sociedade de geografia de lisboa, sabe-se là porqué não é?

Anónimo disse...

Caros Senhores,

O livro vai vir a fazer exactamente o que nós queriamos que se fizesse.
Vai abrir um verdadeiro dialogo sobre o tema que se pode fazer hoje em dia sem censuras e sem pre-conceitos para poder-mos resolver se for possivel o tema ua vez para sempre.
O convite pelo Presidente da Secção de História da Sociedade de Geografia de Lisboa foi com certeza feito por que aquele senhor entende que não se deve censurar a história mas que esta deve de ser discutida em boa fé e investigada para ver se deveras esta ou não correcta.
E assim o nosso livro "O Mistério Colombo Revelado" tem o sucesso do seu verdadeiro intento que é abrir a siscussão, revelar os erros e falsas teorias e chegar a um principio da história baseado nos factos provados e não nos boatos insinuados.
-Manuel Rosa