quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Não dar uma prá caixa

Um exemplo perfeito do discurso pseudo-histórico.

5 comentários:

Anónimo disse...

JCSJ,
Agora que acabou de nos mostrar aquilo que classifica como discurso pseudo-histórico, mostre-nos também um seu mini discurso histórico e diga-nos quem era o seu Cristóvão Colombo: um cardador de lãs, um filho de tecelão, um vendedor de vinhos e queijos, um distribuidor de produtos no seu barquito à vela, um agente comercial, um mercador, um mercador nobilitado, um nobre italiano, ou quem?
Se não SOUBER responder pode então continuar refastelado nessa poltrona acolchoada de que fala o texto que comentou.
ADAMASTOR

Corrección de textos. disse...

Y un claro ejemplo de discurso bastante imperfecto de historiador apoltronado con pícara sonrisa.

http://www.aph.pt/opiniao/opiniao_0609.html

Anónimo disse...

Melhor ainda é esta
http://correctoresdesabor.blogspot.com/2009/11/colon-portugues-la-historia-nunca.html
Colón portugués. La historia nunca contada, gracias a Dios.

Anónimo disse...

Caro anónimo,
não, a melhor não é essa para a qual indicou um link!
A melhor é a incapacidade do(s) autor(es) em nos dizer quem era o Cristoforo Colombo que defendem.
Não sabem dizer-nos se era cardador de lãs, mercador, (etc, etc, para não ser fastidioso ao colocar aqui várias hipóteses já mencionadas em perguntas anteriores e nunca respondidas)
ADAMASTOR

Corrección de textos. disse...

Y aquí, un claro ejemplo de cómo la ciencia se aproxima a la Historia. Los altolaguirristas no tienen algo ni medianamente parecido, claro.

http://www.vidavedra.es/index.php/Cultura.es/cristobal-colon-y-pedro-madruga-analisis-caligrafico-comparativo.html