domingo, 16 de dezembro de 2007

Navegação por alturas e navegação por latitudes

Avelino Teixeira: "...En los escritos de Colón aparecen algunos detalles que revelan que al salir de Portugal se practicaba entre los marineros lusos el método de navegación por diferencia de alturas y que, en torno de 1485, se estaba iniciando el método de determinación de la latitud po altura merediana del sol..... [marinheiros] como Colón no sabían determinar las latitudes en la mar."

--- Esta é mesmo de louvar! O Sr. Mota diz que C. Colon tinha aponatamentos sobre como se faziam as navegações em Portugal mas que ao mesmo tempo não sabia nada dessas mesmas navegações!!!!! E notem que o Avelino Teixeira aceita que não se sabia medir ou determinar “Latitude” em 1485. Isto tem que ser um erro do Avelino Teixeira porque não posso crer que ele acreditasse que a Latitude- que era tão bem medida já desde Ptolomeu em 150 - era ao mesmo tempo impossivel de medir em 1485.


Teixeira da Mota refere-se à passagem da navegação por alturas para a navegação por latitudes. Quem não perceber na navegação astronómica a diferença conceptual entre uma e outra fase não pode continuar a perorar sobre História da Marinha sob risco de enganar os incautos e pena de cair no ridículo.

Imagem retirada da Revista da Marinha

10 comentários:

Anónimo disse...

Caro JCSJ

Não posso deixar passar em branco a crítica errónea e leviana feita ao grande homem e grande historiador que foi Avelino Teixeira da Mota. Respondi ao Manuel Rosa no seu blog, deixo aqui, apenas, uma breve mensagem: a picada de um mosquito não tem a menor importância, mas irrita!
Este tipo de actuação leva á falta de comiseração, ou caridade, para com Manuel Rosa de que sou muitas vezes acusada .
Com amizade

Maria Benedita

J. C. S. J. disse...

Cara Maria Benedita,

A crítica é tão mais leviana quanto MR continua sem compreender o que diz Teixeira da Mota (Luís de Albuquerque e outros nesta linha) sobre esta questão.
As alusões que faz à ignorância de TM são tão falsas como, salvaguardando as devidas distâncias, as que me faz dizendo acreditar eu na falsidade do testamento e de não o dizer, quando na realidade nunca me pronunciei neste assunto. Contudo, a provar-se a falsidade de algumas verbas desse testamento - o que não está provado! - subscreveria a interpretação dada pela Maria Benedita.
Com os melhores cumprimentos

Roberto disse...

Versão Curta:
"Navegar por alturas" é sinónimo de "navegar por latitudes". Determinar a latitude medindo a altura da estrela polar é fácil. Determinar a latitude medindo a altura do sol é difícil.

Versão Longa:
Em qualquer noite do ano, a altura da estrela polar no horizonte, medida em ângulo, corresponde à latitude. Há pequenas variações consoante a hora da noite, mas insignificantes para o efeito. Em noites em que as nuvens ou nevoeiro tapam a estrela polar, não se consegue determinar a latitude.
Em qualquer dia do ano, a altura do sol ao meio dia é diferente dos outros dias. Para se determinar a latitude medindo a altura do sol, é necessário possuir uma tabela que converta a altura do sol ao meio dia em latitude para cada dia do ano. Antes de uma determinada data (que Avelino Teixeira dá como 1485 baseando-se nos escritos de Colombo), os portugueses só determinavam a latitude à noite. Depois dessa data, os portugueses passaram a determinar a latitude ao meio dia porque elaboraram as tabelas necessárias.

Avaliação:
Teixeira da Mota - Aprovado
Silva Rosa - Aprovado
J.C.S.J. - Reprovado com mérito pelo esforço.

Origem da confusão:
Teixeira da Mota é obrigado a aceitar (sob pena de ser considerado um pseudo-historiador) que Colombo não sabia medir a latitude em alto mar, mesmo à noite.

Sugestão aos incautos:
Fujam!

J. C. S. J. disse...

Tem interesse assinalar que a primeira fase da navegação astronómica não recorreu a latitudes.
Luís de Albuquerque, «Latitude» DHDP, vol. II, Lx, C.L., imp,. 1994, p. 586.

Eu sei, não sei ultrapassar os mestres. Para mais informação estudem-nos.

Anónimo disse...

Pois, e no hemisfério sul, sem estrela polar era o diabo!
Roberto, está a aldrabar tudo, reveja a matéria.Teixeira da Mota não se baseia nos escritos de Colombo mas em José Vizinho.JCJS está certo, o Rosa chumbou, como já é costume.

Gonçalo Zacuto

Roberto disse...

A primeira fase da navegação astronómica recorreu aos astros (sol e estrela polar) para determinar em que direcção ficava o norte. Não era necessário medir a altura dos astros, bastava saber que a estrela polar estava sempre para norte e que o sol nascia a oriente (levante), punha-se a ocidente (poente) e ao meio dia estava sempre para sul. Os mais informados sabiam ainda em que direcção nasciam e se punham várias constelações a cada época do ano. Esta citação de Luís de Albuquerque sobre a primeira fase de navegação astronómica não tem relevância para a compreensão do texto de Teixeira da Mota, que se refere às duas principais maneiras de determinar latitude com base na altura dos astros medida em graus.

Recapitulando:
Já foram abordadas 3 fases de navegação astronómica. A primeira, referida na citação de Luis de Albuquerque, substitui a bússola e nada tem a ver com alturas dos astros. A segunda, mencionada no texto de Teixeira da Mota, refere-se à determinação de latitude com base na altura da estrela polar. A terceira, (que segundo a interpretação que Teixeira da Mota faz dos escritos de Colombo começa cerca de 1485), refere-se à determinação da latitude com base na altura do sol ao meio dia.

Clarificando:
Teixeira da Mota é da opinião que Colombo não sabia determinar a latitude em alto mar. Manuel Rosa é da opinião que Colombo sabia determinar a latitude em alto mar. Quando dois autores tem opiniões diferentes sobre uma pessoa que viveu há 500 anos não é obrigatório concluir que um autor é um mestre e o outro autor é ignorante.

Avaliação:
Luis de Albuquerque - Aprovado
Teixeira da Mota - Aprovado
Silva Rosa - Aprovado
J.C.S.J. - Reprovado com menção honrosa por identificar correctamente as fontes das citações.

Nota aos incautos:
Ainda por cá?

F. V. F. disse...

Viva Roberto
conseguiu completar a quadratura do círculo!

Colon-o-Novo disse...

Ao Gonçalo Zacuto,

Teixeira de Mota NÂO se baseou em escritos de José Vizinho mas nas notas de Colon sobre José Vizinho.
Foi Cristóvão Colon que nos deu notícias do José Vizinho medir a altura do Sol, sobre Bartolomeu Dias descobrir o Cabo da Boa Esperança, sobre D. João II saber da existência do Brazil e ainda deu-nos as novas do Novo Mundo.

Teixeira de Mota aceitou a nota de Colon sobre José Vizinho sendo assim que C. Colon saberia da tecnologia Portugeusa. Mas é ridiculo dizer sobre algum marinheiro da época que eles não sabiam medir a Latitude no Alto Mar. É contrário á realidade.
É ainda mais ridiculo dizer que Colon não sabia medir Latitudes quando no Diário de Abordo ele mede a Latitude do Cabo de S. Vicente estando a mil milhas a Ocidente dele e a léguas a Sul da Ilha das Flores nos Açores.
É contrário á realidade.
E teixiera de Mota só poderia cometer esse erro aceitando as falsas barbaridades sobre a "História de Colombo" que lhe ensinaram os "mestres" que parecem ter sido os mesmos "mestres" em que se baseiam os autores deste "muy excelente" Blog.
Assim não fui eu que chumbei desta vez foi o "Gonçalo Chumbo"

Manuel Rosa

Anónimo disse...

sobre Mestre José Vizinho, pronunciaram-se João de Barros,nas Décadas, Benarus, na " história dos Judeus, pelo menos.António Barbosa diz-nos que José Vizinho é o autordo texto das regras do Regimento de Munique para cálculo da latitude geográfica pela altura do sol,por comparação entre os Manuscritos Judaicos , os Cãnones e o Regimento. Qual Colombo qual treta!

Gonçalo, de Viseu

Anónimo disse...

Teixeira da Mota acha que Colombo não desconhecia o quadrante nem o astrolábio,mas não sabia fazer bom uso deles. Não deixou, no seu diário nem uma latitude determinada no mar. Em Cuba, descendo a terra, errou em 20 graus na latitude. Não desconhecia, talvez, que a meridiana do sol dava a latitude, mas não sabia utilizar as tábuas para o fazer! A primeira ilha a que apotou, Gunahani, que baptizou de S. Salvador, ainda hoje se desconhece qual seja, nem uma latitude dessa ilha deixou!
Cabral, ao desembarcar em Porto Seguro, achou uma latitude de 17 graus! Errou por 1/2grau! Comparação?
Teixeira da Mota acerta em cheio quando diz que Colombo não sabia navegar por latitudes! Era por estima que o fazia!

Maria Benedita